Sindicato das Empresas de Rádio e TV do RS | (51) 3231-4260
Crédito da Foto: Neitor Corrêa/Divulgação SindiRádio
Terça, 21 de Mai de 2019

Seminário da Qualidade: SindiRádio reúne palestrantes para debater os novos formatos da radiodifusão

Manhã do último dia de evento contou com a presença da especialista em Mídias Sociais, Fernanda Musardo, do professor da UFRGS, Luiz Artur Ferraretto, e do executivo de Gestão de Negócios, Matheus Carvalho

Para finalizar a intensa programação do 16º Seminário da Qualidade, promovido pelo SindiRádio - Sindicato das Empresas de Rádio e TV do RS, uma manhã de palestras envolveu os radiodifusores gaúchos em meio a reflexões sobre “O Presente e o Futuro do Rádio e da TV”, tema do evento, com amplos destaques para o uso das mídias sociais, as práticas de se fazer rádio e televisão, e os novos formatos de mercado.

A presidente do SindiRádio, Christina Gadret, aproveitou o momento inicial do encontro para apresentar a nova assessoria jurídica do Sindicato e ressaltar a importância da contribuição que viabiliza as ações da entidade. “É fundamental que todas as empresas se envolvam, é um valor que dá sustento ao SindiRádio e sem ele este trabalho não existe”, lembrou.

Com a missão de instigar a plateia, a especialista em Mídias Sociais e Negócios na Internet, Fernanda Musardo, falou da necessidade de ampliar o uso das mídias sociais para agregar faturamento nos negócios - especialmente no país em que as pessoas passam mais tempo conectadas: cerca de nove horas de uso por dia. “Quem ainda acha que a internet veio para dificultar o rádio, ou vê a mídia social como concorrente, está parado em 2006 e, infelizmente, será engolido pelo mercado, atropelado por um blogueira de 14 anos. Você trabalha com audiência, é uma empresa de comunicação, comunica as pessoas, não importa em qual tela. Você só vive e paga as contas se tiver audiência, e ela está em múltiplos canais”, alertou. Fernanda também deu dicas práticas para os gestores, como fazer do dia a dia de cada empresa um verdadeiro reality show, exemplificou as ferramentas de engajamento, além de ensinar a estratégia de “criar, consolidar, articular e monetizar” os espaços nas redes sociais.

Mais tarde, o professor e o coordenador do Núcleo de Estudos de Rádio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Luiz Artur Ferraretto, teve a responsabilidade de abordar o assunto que levou o tema do Seminário, apresentando o “rádio e a TV na ponta dos dedos”. “Temos que dar espaço ao ouvinte, mas este espaço não pode ser mais importante do que o nosso. Nós somos os profissionais de rádio e televisão, somos aqueles que dizem ‘isso é verdade’. Muitas vezes, abrimos espaço em demasia para quem não tem o que dizer, é preciso ter cuidado. Nem tanto o céu, nem tanto a terra”, avaliou, apontando a preocupação quanto à “ditadura dos trending topics” como identificador da pauta do dia. “Pensamos que as redes sociais mais abertas são plataformas de conteúdo, mas são plataformas que concorrem com outras, chamadas rádio, televisão e jornal”, ressaltou. Para o presente e o futuro dos setores, Ferraretto lembrou: “nós oferecemos companhia e passamos emoção, pois se não precisasse disso as pessoas se guiavam pelo trânsito apenas com aplicativos de GPS. Se não precisassem de serviços, opinião, música, cidadania, educação, cultura e entretenimento, ficariam nos dados frios da internet. O rádio é a trilha sonora da nossa vida, é o relógio das pessoas, é uma conversa que quebra a solidão, e a televisão também faz isso”, finalizou.

Para encerrar o trio de palestras, o executivo de Vendas, Marketing e Gestão de Negócios, Matheus Carvalho, abordou as oportunidades no mundo da comunicação, partindo da premissa: “o mundo está mudando”. “Independentemente da tecnologia, tem uma coisa que, para mim, vai fazer a diferença: as pessoas. O nosso negócio é feito por gente e para gente, e distribuído por tecnologias, por isso proponho uma reflexão sobre pessoas como geradoras de negócios, capazes de monetizar aquilo que a tecnologia acelera e distribui, mas ela, sozinha, não faz a coisa acontecer”, destacou. O executivo também elencou ações importantes para que os negócios prosperem, como o olhar de fora para dentro; aumento na relevância do papel da área de vendas; e conhecimento das novas posturas dos profissionais comerciais.

“Vender é como procurar um novo emprego todos os dias. É trabalho para malucos, corajosos e criativos. Ao mesmo tempo em que temos tanta mudança, nunca se teve tanta oportunidade para usar o conteúdo local, com a força dos comunicadores, com a relevância e credibilidade das empresas para construir novos negócios, porém eles não vão sair da cabeça de um único criativo como por muito tempo saiu. Vão sair de conversas com os clientes e, para isso, as pessoas precisam ser preparadas para que isso aconteça, sem medo da tecnologia porque ela não substitui o talento humano”, encerrou Carvalho.

Em dois dias de evento, com almoço exclusivo junto ao ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, apresentações do secretário de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia da República Federativa do Brasil, Paulo Uebel, e do governador do Rio Grande do Sul em exercício, Ranolfo Vieira Jr, além da manhã de palestras, o SindiRádio reuniu mais de 180 empresários e executivos da radiodifusão de diversas localidades do Estado. O evento anual se tornou tradicional no setor, chegando à décima sexta edição, com a oferta de qualificação profissional, troca de conhecimentos e muita integração entre os radiodifusores.

 Texto: Anahí Silveira

Fonte: SindiRádio
Compartilhe esta notícia:

Sindicato das Empresas de Rádio e TV do RS
Av. Getúlio Vargas, 774 - CJ 604 - Bairro Menino Deus
CEP: 90.150-002 - Porto Alegre - RS
FONE: (51) 3231-4260

ACESSE NOSSAS REDES

SINDIRÁDIO ® TODOS OS DIREITOS RESERVADOS